Category : Administração | Finanças

Home/Archive by Category "Administração | Finanças" (Page 6)

Quais as diferenças entre MEI, EI, ME e EPP?

A legislação civil empresarial do país tem se modernizado bastante, e vem oferecendo cada vez mais ótimas possibilidades para a formalização de negócios e incentivos para os empreendedores.

Para os gestores que querem lançar novas ideias no mercado, empresariado e profissionais de contabilidade, é essencial entender as diferenças entre cada enquadramento empresarial.

Isso porque há vantagens e regras bem diferentes para cada tipo de pessoa jurídica, e só será possível aproveitá-las a partir da adequada compreensão das características e da ideia por detrás de cada espécie empresarial.

Com intenção de facilitar o uso diário dos tipos empresariais, existem algumas siglas, entre elas MEI, EI, ME e EPP. Você sabe o que cada uma delas significa?

No post de hoje você vai conhecer um pouco mais sobre cada uma dessas siglas e poderá perceber qual delas é a mais interessante para seu negócio!

Continue Reading –

Você sabia que existem 3 livros contábeis da sua empresa?

A atividade empreendedora exige coragem e criatividade. O empresário precisa olhar para frente, com o objetivo de projetar os cenários futuros, sempre com o auxílio de algumas ferramentas que irão basear as suas decisões. A contabilidade é um destes instrumentos. Contar com uma assessoria contábil especializada deixa o dono do negócio livre para criar, mas com os dados relevantes de sua empresa disponíveis para subsidiá-lo.

A legislação em vigor possui algumas particularidades, com relação à forma como os registros diários de sua empresa devem ser feitos. Você sabia que existem três livros contábeis em sua empresa? De acordo com a legislação vigente, diversas empresas devem possuir pelo menos três livros contábeis: livro diário, livro razão e livro caixa. O post de hoje vai te ajudar a conhecer um pouco mais sobre eles.

Continue Reading –

7 dicas de gestão financeira para manter sua PME sob controle

Quem atua no mercado como microempreendedor individual (MEI) ou é dono de pequena ou média empresa deve prestar bastante atenção à sua gestão financeira. Afinal, traçar um bom plano de contas e manter os pagamentos em dia, além de monitorar adequadamente gastos e recebimentos da empresa, são grandes desafios para o gestor. Então, o que pode ser cumprido na gestão financeira para manter sua PME sob controle? Veja algumas dicas a seguir:

Continue Reading –

6 conselhos financeiros para o empreendedor que busca o sucesso

A falta de um bom planejamento financeiro é um dos mais relevantes motivos para que uma empresa não conquiste o êxito tão desejado por seus empreendedores, fazendo com que 1/3 das empresas quebrem antes de completarem um ano de existência operacional.

Se você não sabe nada sobre finanças, mas quer garantir o futuro de sua ideia de negócio, veja algumas dicas de gestão administrativa e financeira para empreender com muito mais segurança.

Continue Reading –

Por que um departamento administrativo não pode faltar na sua empresa

No cotidiano de trabalho de uma empresa, muitos são os desafios a serem vencidos todos os dias. São tantos os problemas que, às vezes, podemos nos esquecer da importância de questões básicas como, por exemplo, as relacionadas à organização da empresa. Neste artigo, vamos explorar um pouco a importância de se ter um departamento administrativo bem estruturado. Quando cada funcionário sabe exatamente o que fazer, não há espaços em branco e toda demanda terá um responsável. É como em um jogo de vôlei onde cada jogador sabe bem qual é sua área de cobertura, do contrário, pequenas áreas na quadra ficariam vulneráveis ao ataque do oponente.
A questão da organização administrativa de uma companhia é essencial para qualquer empresa — da mais jovem e simples até as grandes exportadoras. Porém, cada realidade demanda sua própria versão de departamento administrativo adequado. Por isso, listaremos aqui algumas funções que devem receber atenção cuidadosa de empreendedores. Continue acompanhando e confira!

Continue Reading –

Estratégias para fidelizar seus clientes

A retenção dos clientes é muito importante para o crescimento de um negócio sustentável, e está nas mentes dos gestores de empresas de qualquer porte e atividade. Manter a fidelidade dos clientes é manter a estabilidade econômica de uma empresa e, ao mesmo tempo, fazer com que os clientes fiéis e satisfeitos indiquem produtos e serviços, gerando novos consumidores.

 É por essa razão que entram em cena as estratégias de como fidelizar seus clientes. A aquisição de novos consumidores pode custar algo em torno de cinco a sete vezes mais do que simplesmente sustentar seus clientes existentes.

Que tal observar algumas estratégias de fidelização que você poderia aproveitar na sua empresa? Veja algumas práticas que são muito indicadas para aumentar a retenção dos seus clientes.

Continue Reading –

Ebook 69 Dicas – Como economizar em sua empresa

Como economizar na sua empresa

O guia definitivo de Economia de Custo nas empresas

  • Dicas das áreas de Gestão, Finanças, Recursos Humanos, Marketing, Vendas e Infraestrutura.
  • 17 Dicas especiais de como abrir empresas com poucos recursos.
  • Bonus: Tenha acesso ao simulador de Regime Tributário e analise se sua empresa está pagando mais do que deve para o Fisco.

Terceiro Setor – Autodiagnóstico Gestão Financeira

Avalie a gestão financeira de Organizações Sociais

  • Avalie 6 temas financeiros: Planejamento e Orçamento, Registro Contábeis, Relatórios, Controles Internos, Doadores e Pessoal envolvido.
  • São 29 questões baseado nas boas práticas de gestão de organizações socias.
  • Faça um plano de ação com as questões de baixo desempenho.
  • Interativo, ótimo para responder junto com a equipe da Organização.

Como calcular a participação nos lucros e resultados (PLR)?

Você já se perguntou como aplicar a PLR ou qual a sua importância?

Pois bem! Reter talentos em uma organização é um trabalho árduo do departamento de Recursos Humanos, que vive em busca de novas estratégias para impedir que os melhores funcionários abandonem a empresa na primeira oportunidade.

A Participação nos Lucros e Resultados (PLR) é um dos estímulos utilizados para garantir a permanência dos empregados e garantir a união de esforços para alcançar os objetivos da empresa.

Infelizmente a falta de informação ainda gera certo desconforto e receio por parte dos empregadores, além de dúvidas por parte dos colaboradores. Por este motivo no post de hoje vamos falar um pouco sobre a PLR, como as empresas adotam essa prática e quais os cuidados a serem tomados na sua implantação.

Quer aprender um pouco mais sobre essa bonificação? Abaixo sanaremos as principais dúvidas sobre o assunto. Leia, tire suas dúvidas e fique atento às nossas dicas!

O que é PLR?

Como dissemos anteriormente, a PLR é um bônus pago aos funcionários. De natureza não salarial, seu valor é negociado com o auxílio de uma Comissão de Trabalhadores da Empresa a partir do lucro gerado naquele ano.

De um modo geral, a lei sugere 3 modelos de acordo para a PLR:

  • Comissão de trabalhadores;
  • Acordo coletivo;
  • Convenção coletiva.

O pagamento da PLR está condicionado a esse acordo entre patrão e empregados, supervisionado pelo sindicato da classe, onde também são estabelecidas regras para sua oferta.

É importante ressaltar que nem todos os colaboradores da empresa possuem condições para receberem esse bônus. Estagiários e empregados com contrato de experiência, por exemplo, não estão dentro deste grupo recebedor.

A Constituição Federal de 1988 moldou a prática da PLR, mas apenas no ano 2000 ela foi regulamentada por normativa infraconstitucional.

Atualmente, não incidem encargos sobre a participação, o que há anos atrás deixava a prática bastante onerosa para as empresas devido aos tributos como FGTS e INSS que incidiam sobre ela.

Como é feito o pagamento da PLR?

Embora seja uma prática presente na Constituição Federal e regulamentada por lei, não existem regras rígidas para a aplicação da Participação de Lucros e Resultados.

Portanto, o critério utilizado para o pagamento da PLR varia de empresa para empresa. Pode ser resultado da divisão do lucro em partes iguais ou do pagamento diferenciado, considerando cargos e salários dos trabalhadores.

Há ainda as empresas que pagam um valor fixo para todos os funcionários e uma parcela proporcional aos salários de cada.

A data de pagamento também é negociada no fechamento do acordo entre patrões, sindicatos e a empresa. O mais comum é que ele seja feito semestralmente, pois este é um período de conclusão de metas e apuração de resultados. Porém, existem casos em que a PLR é paga de forma anual, ou seja, em uma só parcela.

Como são feitos os cálculos da PLR?

Conforme o consenso gerado entre todos os participantes da Comissão dos Trabalhadores, o pagamento será realizado de forma igualitária para todos os colaboradores de acordo com os cargos que ocupam.

De acordo com a lei, toda empresa que optar por essa bonificação, deverá agir com total transparência, a fim de prestar todas as informações necessárias de esclarecimento do processo de avaliação dos resultados do cálculo e dos benefícios para os envolvidos. Portanto, não se sinta receoso. Se tem dúvida, só perguntar.

Cálculo da PLR e o Imposto de Renda

A porcentagem que as empresas mais costumam oferecer é de 1/12 avos, multiplicado pelos meses trabalhados, onde 1 representa o salário recebido integralmente.

Abaixo mostraremos um exemplo de como o cálculo pode ser realizado:

Primeiramente deve-se dividir o salário do funcionário por 12 (que representa os meses do ano).

Exemplo:

Se o funcionário ganha R$900,00, então:

R$900/12 = R$75,00

Depois multiplique o período de tempo trabalhado pelo funcionário:

Exemplo:

De 18/02/2016 até 18/11/2016

R$75,00*9 = R$675 correspondentes ao PLR.

E o imposto de renda?

Desde 2013, quem recebe a PLR com valores de até R$ 6 mil reais durante todo o ano, tem isenção total do valor no imposto de renda. A tabela de incidência agora tem como base os valores recebidos dentro do ano fiscal.

Para descobrir o valor total a ser tributado, deve-se somar todas as parcelas da PLR e demais programas recebidos no ano.

Caso o valor supere o teto estipulado, haverá uma alíquota de 7,5% que pode chegar a até 27,5%, dependendo da faixa em que está o bônus recebido.

Para simplificar, abaixo uma tabela referente à PLR válida para 2016:

Valor da PLR Anual (R$) Alíquota (%) Parcela a Deduzir do IR (R$)
De 0,00 a 6.677,55
De 6.677,56 a 9.922,28 7,5 500,82
De 9.922,29 a 13.167,00 15 1.244,99
De 13.167,01 a 16.380,38 22,5 2.232,51
Acima de 16.380,38 27,5 3.051,53

Se você recebe mais que o teto estipulado e quer saber quanto ficaria o IR sobre o PLR, o Sindicado elaborou um simulador de cálculo. Clique aqui para baixar e calcular.

Implantar a PLR compensa?

Implantar a Participação de Lucros e Resultados na sua empresa é uma das melhores práticas de incentivo ao colaborador que você poderá oferecer.

Por se tratar de um incentivo financeiro que está diretamente relacionado ao crescimento do seu negócio, fará com que os profissionais entendam que quanto mais se dedicarem, mais todos serão beneficiados.

Consequentemente tanto a empresa quanto o funcionário sairão ganhando com isso.

Quais preocupações minha empresa deve ter?

É importante ressaltar que além da transparência na apuração dos valores a serem pagos aos colaboradores, a empresa precisa também se atentar a dois outros fatores:

Definição das metas:

Nem sempre definir metas é uma prática fácil de ser feita na gestão de negócios. É crucial saber definir as metas que serão buscadas para o sucesso da empresa. Entretanto, na estruturação da PLR as metas atribuídas devem ser atingíveis e dentro da realidade da empresa e do mercado. Colocar metas inalcançáveis apenas para constar que a sua empresa oferece PLR aos funcionários, além de ser uma má prática, infelizmente é bastante comum no âmbito empresarial.

Porém é fato de que esse ato é altamente destrutivo, pois causa desmotivação nos funcionários e age completamente contra a proposta da participação.

Direitos dos funcionários:

Embora não seja um bônus salarial, é preciso se atentar ao pagamento da PLR e como ele será gerido, para não causar problemas relacionados aos direitos dos trabalhadores.

Um exemplo a se ressaltar é o caso de um funcionário que se desliga da empresa antes do pagamento da bonificação. Este funcionário tem o direito ao recebimento proporcional aos meses trabalhados.

Em contrapartida, ele perde o direito de 1/12 do benefício a cada 15 dias que se mantiver afastado do trabalho durante o período.

É possível suspender a PLR?

Dependendo das regras estipuladas no acordo coletivo, o pagamento da PLR poderá ser suspenso caso a empresa não alcance as metas estipuladas. Mas especialistas alertam que este corte jamais deverá ser feito como punição aos funcionários.

Empregado demitido antes do pagamento da PLR ainda tem o direito de receber o benefício?

Segundo a Justiça do Trabalho, o empregado que sair da empresa antes do pagamento da PLR terá direito a receber os valores proporcionais aos meses trabalhados.

Conclusão

Imagem de que ilustra a conclusão de um assunto

A PLR é uma medida que pode ajudar muito a sua empresa, pois dá ao funcionário uma gratificação pelo trabalho prestado para o alcance das metas estabelecidas, servindo assim de incentivo para que continue se esforçando nas suas atividades.

Apesar de tudo, é importante ressaltar que ao implantar a PLR, é imprescindível que se atenha ao tipo de meta que está sendo estabelecida aos funcionários e se essa meta é atingível. E também é sinal de boa prática manter a transparência sobre os valores a serem pagos e com base em que estão sendo calculados.

Aplicando a Participação de Lucros e Resultados de forma correta, gera-se uma série de benefícios, tanto para o colaborador que sente que seu trabalho está sendo valorizado, quanto para a empresa que aumenta seu faturamento com isso. Então se a sua empresa ainda não implantou essa prática, vale a pena analisar se é ou não viável. Em boa parte dos casos é, basta apena verificar com cuidado e antecipação.

Em caso de qualquer outra dúvida em relação ao assunto, vale a pena consultar o sindicato, um advogado trabalhista ou um contador.

E então, como funciona o pagamento da PLR na sua empresa? Vocês já adotam esse bônus? Deixe um comentário e participe da conversa!

Ou se preferir, entre em contato conosco para que possamos conversar!

Como e por que fazer a elaboração do balanço patrimonial nesse fim de ano

Equilíbrio. Essa é a palavra-chave para definirmos balanço patrimonial. Basicamente, essa é uma das principais demonstrações contábeis de uma empresa, e deve ser elaborada sempre ao fim do exercício social. Apesar da obrigação legal deste tipo de demonstração, a elaboração do balanço patrimonial não serve apenas para acertar as contas com o Fisco: antes disso, fornece informações valiosas sobre a situação econômica da sua empresa.
Nesse post, pretendemos explicar um pouco mais sobre o funcionamento dessa valiosa demonstração contábil, bem como sua importância no desenvolvimento do planejamento estratégico e na tomada de decisões. Confira logo a seguir!

Continue Reading –