Category : Impostos | Tributos

Home/Archive by Category "Impostos | Tributos" (Page 3)

Conheça a tendência outsourcing contábil

Outsourcing contábil?

Nos últimos anos, muitas mudanças estão acontecendo no mercado empresarial no Brasil. Em termos de contabilidade, diversas alterações estão em curso, visando adequar as práticas brasileiras em relação ao padrão internacional do setor, que promete que as empresas de pequeno, médio e grande porte realinhem suas estratégias em alguns meses.

Com isso surge a necessidade de fazer uma espécie de “reforma” no setor contábil, o que pode contribuir para novas tendências surgirem. E uma das mais promissoras é a do outsourcing contábil, que é, em linhas gerais, uma terceirização desses serviços. Mas você sabe realmente como ele funciona? Se ainda não, leia o texto a seguir e confira:

Continue Reading –

Quais impostos uma empresa paga na emissão da NF-e?

A nota fiscal eletrônica (NF-e) é um tipo de documentação fiscal que tem a mesma validade de uma nota fiscal impressa, mas foi elaborada com o objetivo de modernizar o sistema de notas fiscais do Brasil.

O surgimento da NF-e otimizou não apenas sua emissão, mas também facilitou o armazenamento digital e os meios de fiscalização do governo.

Os empreendedores que estão à frente de negócios de micro e pequeno porte, sobretudo aqueles que optaram pelo regime de tributação do Simples Nacional, podem ser bastante beneficiados com a emissão de NF-e em sua empresa.

Com esse tipo de nota, é possível documentar de maneira autenticada as operações de circulação de mercadoria ou de prestação de serviços, com muito mais segurança e praticidade e com a nova legislação que obriga as empresas a informarem o consumidor quais são os tributos que incidem em seu consumo (Lei nº 12.741/2012), não haverá dificuldade em cumprir as novas determinações, se o empreendedor souber acertadamente quais são os impostos e contribuições que incidem na NF-e emitida.

Você saberia dizer quais seriam esses tributos? Continue acompanhando nosso artigo e veja a carga tributária que é cobrada em uma NF-e:

Continue Reading –

Lucro Real ou Presumido: Como escolher?

Se sua empresa fatura acima do Limite do Simples Nacional ou não há quaisquer vantagens em optar pelo regime simplificado, restam as opções do Lucro Presumido e do Lucro Real para o enquadramento tributário.

Longe de ser um bicho de 7 cabeças, a opção nesses regimes requer um controle maior na gestão da empresa. Essa escolha muda as obrigações, os cálculos e apurações do IRPJ, da CSLL, do PIS e da Cofins.

Neste post, vamos deixar mais claras as diferenças entre as duas.

Continue Reading –

Você sabia que existem 3 livros contábeis da sua empresa?

A atividade empreendedora exige coragem e criatividade. O empresário precisa olhar para frente, com o objetivo de projetar os cenários futuros, sempre com o auxílio de algumas ferramentas que irão basear as suas decisões. A contabilidade é um destes instrumentos. Contar com uma assessoria contábil especializada deixa o dono do negócio livre para criar, mas com os dados relevantes de sua empresa disponíveis para subsidiá-lo.

A legislação em vigor possui algumas particularidades, com relação à forma como os registros diários de sua empresa devem ser feitos. Você sabia que existem três livros contábeis em sua empresa? De acordo com a legislação vigente, diversas empresas devem possuir pelo menos três livros contábeis: livro diário, livro razão e livro caixa. O post de hoje vai te ajudar a conhecer um pouco mais sobre eles.

Livro diário

Neste livro contábil os registros são feitos em ordem cronológica (dia, mês e ano) de todos os fatos que afetam o patrimônio de sua empresa. Pode ser escriturado de forma manuscrita, mecanizada ou informatizada, sempre em idioma e na moeda que estiverem em vigor no Brasil. Também podem ser escriturados de forma resumida ou sintética, com periodicidade diária ou mensal, tendo o respaldo de livros auxiliares para armazenar a movimentação de algumas contas e de determinadas operações específicas.

No caso do livro diário manuscrito, é preciso lavrar Termo de Abertura e Termo de Encerramento, antes do início de sua utilização. Os termos precisam ser registrados na Junta Comercial ou no cartório em que estiverem arquivados os atos constitutivos, com as assinaturas de um dirigente da empresa e de um profissional habilitado.

Já para os livros diários escriturados de forma informatizada ou mecanizada, o Termo de Abertura e o Termo de Encerramento constarão na primeira e na última folha, também com as assinaturas de um profissional habilitado e de um dirigente da empresa. Nesta hipótese, o processo pode ser feito após o livro contábil já estar em uso, devendo ser encadernado e registrado na Junta Comercial ou no cartório em que estiverem arquivados os atos constitutivos.

Livro razão

É através deste livro contábil que poderemos saber a movimentação de crédito e débito de todos os itens que compõem o patrimônio da sua empresa. O livro razão também registra os fatos que afetam o patrimônio da empresa, porém, o enfoque aqui é dado nas contas que constituem este patrimônio.

Assim como no livro diário, este livro contábil não deve conter rasuras, entrelinhas ou qualquer indício que ponha em dúvida os registros. Também pode ser escriturado de maneira manuscrita, mecânica ou informatizada. Entretanto, não são necessárias a autenticação, nem o registro na Junta Comercial e no Cartório.

Livro caixa

Alguns livros, que são obrigatórios pela legislação, podem ser utilizados como livros auxiliares na sua escrituração contábil. A utilização de livros contábeis auxiliares serve para reduzir consideravelmente o volume de registros no livro diário. Entre os livros auxiliares, um dos mais importantes é o livro caixa.

Neste livro os registros contábeis também são feitos em ordem cronológica. Por isso, podem ser utilizados como auxiliares do livro diário, embora possuam algumas especificidades que devem ser seguidas. No livro caixa a finalidade é registrar todos os recebimentos e pagamentos. Costuma ser utilizado pela tesouraria da empresa e auxilia, posteriormente, na declaração do Imposto de Renda.

O uso do livro caixa é facultativo para todas as empresas, com exceção daquelas que optam pelo Simples Nacional. Nestes casos, os empreendedores são obrigados pelo fisco a utilizar pelo menos estes três livros contábeis.

O controle destes livros, pelo dono do negócio, é fundamental para o sucesso do empreendimento. Muitas vezes, contratar uma empresa especializada será mais vantajoso para o empresário, pois o permitirá ter as informações disponíveis para auxiliá-lo nos momentos em que as decisões mais importantes precisam ser tomadas. Use os números como parceiros para proteger sua criatividade e fique, assim, cada vez mais próximo do sucesso. Ainda tem dúvidas? Deixe um comentário!

 

Como realizar o Planejamento Tributário?

A alta carga tributária existente no Brasil é uma reclamação constante tanto de empreendedores nacionais quanto de empresários estrangeiros. Além de comprometer a gestão de negócios situados no país, o elevado montante de tributos exigidos pelo governo afasta os investimentos externos.

Diante deste quadro, o contribuinte normalmente opta por adotar uma das seguintes atitudes: simplesmente sonegar tributos, correndo o risco de ser autuado pelo Fisco, articular-se junto a entidades representativas para pressionar o governo a realizar uma reforma tributária ou realizar um planejamento tributário legal e eficaz para diminuir os impactos ou o recolhimento de impostos e contribuições. Enquanto a primeira opção é bastante arriscada e pode configurar crime tributário, a segunda atitude normalmente gera pouquíssimos resultados.

Assim, para assegurar o desenvolvimento dos negócios de forma segura e legal, resta ao contribuinte brasileiro organizar suas atividades e operações para obter um menor ônus fiscal com base no direito constitucional de realizar um planejamento tributário.

O que é planejamento tributário

Uma parte representativa dos maiores custos das empresas brasileiras está relacionada ao recolhimento de impostos, taxas e contribuições. Assim, desenvolver um estudo para obter formas de diminuição da quantidade da carga tributária dentro da lei é fundamental para a sobrevivência de um negócio.

Há possibilidade da diminuição da carga tributária decorrer da própria lei, como no caso da concessão de benefícios fiscais. Muitos estados oferecem alíquotas diferenciadas de ICMS para atrair indústrias. As empresas podem optar pela criação de fábricas em estados mais atrativos como forma de planejamento tributário decorrente da própria legislação.

Além disso, o planejamento tributário pode atuar de três formas básicas. Na primeira hipótese, a finalidade é evitar a incidência do fato gerador do tributo. No caso de pagamento dos sócios nas empresas, por exemplo, no qual incide Imposto de Renda quando a parcela é paga na forma de pró-labore, é legalmente possível realizar o pagamento por meio de distribuição de lucros, situação na qual não há obrigatoriedade de recolhimento do imposto.

Elisão x evasão: como pagar menos tributos dentro de lei

Na intenção de diminuir a carga tributária, muitos contribuintes adotam atitudes que, ao contrário de serem permitidas ou não proibidas pela lei (classificadas como elisão fiscal), são expressamente proibidas pela legislação e podem gerar multas, além de serem entendidas como crimes à ordem tributária.

A forma ilegal de diminuição dos tributos é classificada genericamente como evasão ou sonegação fiscal. Extrapolando o direito constitucional de organizar seu negócio para recolher menos tributos, o empresário incorre em crime ao utilizar procedimentos que claramente são contrário à legislação. É o caso, infelizmente bastante comum, das operações de compra e venda sem emissão de notas fiscais ou lançamentos contábeis de despesas inexistentes. Também são exemplos de evasão os diversos tipos de simulações e as fraudes.

A importância da contabilidade para o planejamento fiscal legal

Além de conhecer a legislação tributária detalhadamente para encontrar formas legais de diminuição de tributos, é essencial que o empreendedor mantenham seus indicadores contábeis rigorosamente atualizados. Por isso, para a realização de um planejamento tributário eficaz e dentro da lei, é importante que o empresário conte com o auxílio de um profissional contabilista.

Dados contábeis confiáveis são o ponto de partida para uma boa análise das possibilidades tributárias de uma empresa. Meras estimativas e erros de avaliação podem comprometer um bom planejamento e gerar riscos evitáveis de autuações e multas.

Planejar as operações da sua empresa para diminuir o recolhimento de tributos é fundamental para economizar recursos tão importantes para novos investimentos. Para assegurar que o planejamento tributário de seu empreendimento esteja de acordo tanto com a legislação, quanto adequado à situação da sua empresa, conte com o auxílio de especialistas!

Sua empresa adota alguma forma de planejamento tributário? Compartilhe com a gente nos comentários!

Como fazer a projeção do fluxo de caixa?

O ano velho já se foi e, agora, é preciso já começar a fazer a projeção das movimentações financeiras deste novo ano que se iniciou. Além de conferir se todas as contas foram pagas e todos os valores a receber depositados em conta, é preciso adequar o planejamento estratégico da organização às atividades a serem desempenhadas pelo setor financeiro da empresa. Afinal, a visão de futuro deve ser um norte não somente para que se saiba aonde a organização deseja chegar, mas para que ela possa se estruturar para fazer isso.

Pensando nesta questão, desenvolvemos para você este post que trata sobre como fazer a projeção do fluxo de caixa. Leia e saiba mais!

O que é preciso ter para realizar a projeção do fluxo de caixa?

O registro de todas as informações que entram e saem da empresa, referentes ao fluxo de caixa, deve ser tarefa rotineira em uma organização. Quando realizado adequadamente, é possível ter dados relevantes sobre cada um dos momentos vividos pela instituição e, com isso, fazer análises fundamentais para projetar o ano vindouro. De posse destas informações, a tomada de decisões será muito mais acertada.

Antigamente, os profissionais usavam planilhas de Excel para fazer tal controle, pois com elas é possível saber como andam as finanças. Mas o fluxo de caixa feito desta forma fica mais propenso às falhas. Por isso, muitas empresas substituíram este tipo de documento por softwares de gestão financeira, que oferecem maior precisão às atividades.

Uma empresa especializada em prestações de serviço de contabilidade e apoio à gestão também oferece um importante apoio na hora de realizar seu fluxo de caixa, pois os profissionais que nela atuam são capacitados para instruir os colaboradores na aplicação das melhores técnicas, e os gestores, na leitura e análise dos dados obtidos.

Como fazer a projeção do fluxo de caixa?

Para fazer um fluxo de caixa da maneira correta, é preciso que os profissionais responsáveis por esta ação sejam dedicados com a atividade. Isso porque ela precisa ser feita diariamente e da maneira correta, para que o trabalho tenha validade.

O primeiro passo para fazê-lo é criar categorias para as saídas de dinheiro. Elas podem ser feitas por setores, por fornecedores, por projetos, etc. Crie uma regra simplificada, de forma que a leitura dos dados promova um rápido entendimento.

Para os pagamentos com despesas, vale a mesma dica. Sugerimos que sejam categorizados como administrativas, comerciais e outras saídas (coloque aqui empréstimos, amortizações, tributos, etc.). Não se esqueça também das entradas, que são normalmente frutos das vendas. Ativos e outros aportes também deverão constar neste quesito.
Feitas os lançamentos do dia, calcule as entradas menos as saídas, pegue o resultado e some ao saldo inicial. Para que você tenha certeza de que seu fluxo de caixa está correto, este valor deverá ser exatamente como aquele que está no banco.

Como as pessoas tem comprado muito a prazo por meio dos cartões de crédito, é possível realizar as projeções de acordo com as datas previstas para lançamento em conta corrente. Isso vale também para as contas a pagar.

Realizar a projeção do fluxo de caixa ajudará os empresários a ter total controle sobre a gestão financeira da empresa. Por meio dele, é possível saber quais os passos que deverão ser dados em direção ao sucesso do negócio. Aproveite já tudo o que você acabou de aprender neste post e comece logo a fazer suas projeções para 2015! Ou, se ainda tem dúvidas, não perca tempo e deixe um comentário!

3 obrigações do contador no fim do ano

Conheça quais são as 3 obrigações do contador no fim do ano

Já estamos nos últimos dias do ano, mas apesar do clima de festa, não podemos nos esquecer de que esse é um momento muito delicado para as organizações. Encerrar o exercício social é uma tarefa obrigatória para as empresas, que devem aproveitar a ocasião para realizar o planejamento financeiro e rever a sua situação patrimonial. A integração com a contabilidade se torna ainda mais intensa, já que esse é o setor responsável por apresentar todas as demonstrações contábeis e financeiras
Acontece que nem sempre os empresários sabem exatamente quais são todas as suas responsabilidades nesse período e, embora a responsabilidade pela execução dessas tarefas seja da contabilidade, é fundamental saber exatamente o que deve ser feito para monitorar o serviço e avaliar a sua qualidade. Pensando nisso, resolvemos abordar nesse post as três principais obrigações dos contadores no fim do ano. Vamos conferir cada uma delas?

Demonstrativos financeiros do exercício

O encerramento dos demonstrativos financeiros do exercício talvez seja uma das maiores responsabilidades da contabilidade nesse período, pois, além de fornecerem informações valiosas para que o empreendedor realize o seu planejamento financeiro — ou, também, o estratégico — serve para que a empresa apresente relatórios para o fisco e fique em dia com os seus tributos.

Dentre os demonstrativos, podemos destacar como principais o Balanço Patrimonial, o Demonstrativo de fluxos de caixa, o demonstrativo de lucros e prejuízos e, finalmente, a declaração de ganhos retidos. A atualização dos livros contábeis, como o Razão e o Diário, também são essenciais e, em alguns casos, obrigatória por lei. Portanto, verifique com o seu contador quais são as prioridades nessas demonstrações.

Cálculo e pagamento do décimo terceiro

A contabilidade deve participar ativamente do processo de pagamento do décimo terceiro salário, pois, além dos cálculos serem muitas vezes complicados para o empreendedor — se tornando mais difíceis à medida que a empresa cresce — existem uma série de outras obrigações acessórias que devem ser atendidas para que a organização fique em dia com o Fisco.

Embora essa seja considerada uma responsabilidade de fim de ano, é fundamental que o contador elabore todos os cálculos das despesas com décimo terceiro previamente, para que a empresa tenha dados suficientes para planejar suas finanças e sua organização interna — avaliando, por exemplo, a possibilidade de novas contratações ou de aumentos de salários para funcionários.

Planejamento estratégico

Por fim, a contabilidade é uma peça-chave na elaboração do planejamento estratégico de um empreendimento, devendo sempre estar disponível para fornecer informações para o empreendedor durante esse período. Dentre essas informações, estão, por exemplo, a determinação do modelo de tributação que será escolhido para o próximo exercício social (Simples, lucro real ou lucro presumido, por exemplo), ou a situação patrimonial.

Não devemos nos esquecer de que cada novo passo dado por uma organização pode representar uma série de despesas que normalmente passam despercebidas, como os encargos tributários. Estar ciente do cenário completo pode fazer com que a empresa tome decisões mais acuradas e, consequentemente, tenha muito mais chances de conseguir êxito nas suas investidas.

Gostou das nossas dicas? Confira muitas outras no nosso blog! E caso ainda tenha dúvidas, deixe um comentário!

4 razões para ter um contador na sua empresa

Empreender significa lidar com uma série de novas responsabilidades, e a principal delas é a financeira. Além de dominar as contas e o patrimônio empresarial, o gestor precisa se certificar de que todas as demonstrações contábeis estão sendo elaboradas de forma fidedigna, já que a apresentação de contas para o Fisco é fundamental para evitar quaisquer problemas. Tudo isso se soma ao fato de que a legislação tributária é extremamente complexa, tornando o pagamento de quaisquer impostos ou taxas um verdadeiro desafio.

A sorte dos empreendedores é que eles podem contar com profissionais extremamente qualificados para lidar com todas essas questões. Atualmente, os contadores exercem funções que vão muito além das meras atividades burocráticas, servindo como verdadeiros aliados durante todo o planejamento estratégico de um negócio. Além de determinarem o melhor modelo de tributação, muitas vezes são esses os profissionais que avaliam a saúde financeira da empresa. Nesse post, você vai conferir as 4 principais razões para ter um contador na sua empresa.

Continue Reading –

O que você precisa saber antes de expandir seu negócio para a web

Se você é um empresário de sucesso, que possui lojas físicas e está querendo expandir seu negócio, mas ainda não sabe como, este post foi feito para você! Um mercado que não para de crescer e que recebe bem qualquer tipo de segmento é a web. Investir em uma loja virtual é extremamente rentável, pois os custos são menores e a visibilidade muito maior. Se você gostou da ideia de ter uma e-commerce, fique por dentro de tudo o que você precisa saber sobre os impostos antes de expandir seu negócio para a web lendo o texto abaixo!

Continue Reading –