Blog

Home/Administração | Finanças/4 dicas valiosas sobre como montar o planejamento financeiro anual da sua empresa

4 dicas valiosas sobre como montar o planejamento financeiro anual da sua empresa

Planejamento financeiro anual

A maioria das pessoas fracassa por não planejar. No Brasil, infelizmente esse descompromisso com o planejamento ocorre entre grande parte dos empreendedores, principalmente quando falamos do campo financeiro. Não é novidade que o descuido com as finanças seja uma das principais causas de mortalidade precoce entre as organizações brasileiras. O problema, no entanto, é sanável, e requer compromisso por parte da gestão.

O segredo para o sucesso de uma empresa começa com um planejamento financeiro anual bem definido, afinal de contas, nenhuma boa decisão pode ser feita sem informação de qualidade. Se você não costuma realizar com frequência o planejamento financeiro anual, ou ainda não sabe por onde começar, não se preocupe, pois a seguir vamos passar algumas dicas importantes para que você começar agora mesmo a colocar a sua empresa nos eixos. Confira 4 dicas valiosas para montar o planejamento da sua empresa!

Análise da situação atual

Nenhum planejamento começa sem informação, por isso, o primeiro passo para começarmos as nossas projeções é a análise da situação atual. É fundamental levantarmos todas as contas da empresa e, com auxílio da contabilidade e do setor de finanças, verificar exatamente quais são as entradas e saídas de recursos financeiros já definidas para o ano.

Dentre as informações mais importantes a serem levantadas no campo das saídas, estão o custo fixo e o custo variável. No primeiro caso, estamos nos referindo aos gastos que a empresa terá periodicamente (mensalmente, por exemplo), que independem da produção, como as contas de luz, os salários, o aluguel, dentre outros. No segundo, estamos buscando os custos variáveis, ligados à produtividade, como os gastos realizados com comissões de vendedores, matérias-primas, dentre outros.

Recomendamos para você:  Como abrir um escritório de advocacia - 8 dicas essenciais para ter sucesso + bônus incrível

Dentre outros pontos importantes a serem levantados, podemos mencionar o saldo disponível em caixa e na conta bancária no momento (pode ser negativo ou positivo), a quantidade de estoques de mercadorias ou matérias-primas, as vendas parceladas feitas aos clientes, bem como contratos firmados. Em outras palavras, é preciso saber o que a empresa já tem disponível e quais são as entradas já garantidas no exercício social atual.

Realização de projeções

O próximo passo é a realização de projeções. Evidentemente, uma empresa que nunca tenha se planejado financeiramente terá dificuldades nesse momento, já que, para a realização de projeções, é indispensável contar com um fluxo de caixa feito regularmente, para controlar as entradas e saídas de recursos financeiros.

Para começar, ao avaliar os custos fixos e variáveis, conforme mencionamos anteriormente, o empresário pode definir qual é o capital de giro necessário para o seu negócio, ou seja, o capital em moeda ou facilmente convertido em moeda (alto grau de liquidez), que pode ser usado para cobrir suas despesas habituais (principalmente os custos variáveis), bem como quaisquer despesas emergenciais. Além disso, com essa mesma análise, somada às próprias ambições da organização, podemos definir metas de vendas para os próximos meses, por exemplo.

É importante lembrar que dificilmente o fluxo de caixa da sua empresa se comportará da mesma maneira todos os meses. Existem diversos períodos sazonais, que precisam ser identificados pelo empreendedor para que ele tome as providências necessárias nesses momentos — como se preparar para uma compra massiva de estoques em determinada data comemorativa, ou, ao contrário, se preparar financeiramente para uma súbita queda de vendas em um determinado período. Tudo isso deve e pode ser projetado através de uma análise do fluxo de caixa, portanto, comece agora mesmo a realizá-lo.

Recomendamos para você:  Como se manter regularizado como profissional autônomo ou profissional liberal

Metas, objetivos e controle financeiro

Se você já sabe qual é a situação atual da sua empresa, bem como quais são as projeções para o próximo ano, você terá as informações necessárias para definir as metas e os objetivos do seu negócio. Como vimos, a definição de metas de vendas já é possível apenas com uma análise dos custos fixos e variáveis e da movimentação dos fluxos de caixa (entradas e saídas), mas não é só isso que é possível definir.

As informações financeiras permitem que o empreendedor defina com mais clareza quais serão as metas da empresa como um todo. É possível, por exemplo, estabelecer um plano de redução de custos, definir possíveis investimentos a serem feitos, e saber o que sua empresa precisa para sair do atual patamar e subir um degrau. Ou seja, com informação, é possível trabalhar em um plano para a transformação da sua empresa!

Mas nunca se esqueça: qualquer planejamento está fadado ao fracasso se não houver um monitoramento. Após definir todas as metas e os objetivos, é fundamental saber como o monitoramento será realizado. A utilização de softwares de gestão, nesse ponto, pode ser um grande diferencial, pois possibilita um controle em tempo real de toda a situação financeira da empresa, que pode ser constantemente atualizada e, principalmente, integrada entre todos os setores.

Recomendamos para você:  7 medidas práticas para a entrada de investidor ou a venda da empresa (siga e não irá se arrepender!)

Definição de uma política de prestação de contas

Por fim, e não menos importante, o desenvolvimento de uma política de prestação de contas também é uma tarefa que requer bastante esforço do empreendedor. De nada adianta ficar dias desenvolvendo o planejamento e adquirindo ferramentas de controle se os próprios funcionários não dão a devida importância à prestação de contas. Vamos imaginar, por exemplo, que os registros não são feitos pelos profissionais de linha de frente, ou que os supervisores não fazem um levantamento de estoques, por exemplo. Fica difícil conseguir informações fidedignas dessa forma, não é verdade?

Portanto, é preciso treinar todos os funcionários para o uso das ferramentas, bem como esclarecer qual é a importância de cada registro, e a consequência da negligência. Se houver um comprometimento e, acima de tudo, uma parceria entre a gestão e os seus funcionários, certamente o trabalho de controlar financeiramente a empresa será muito mais fácil e frutífero do que um ambiente hostil ou pouco organizado. Cada um deve entender perfeitamente a sua função nesse processo!

Você já realiza um planejamento financeiro anual no seu negócio? Não perca mais tempo e garanta o sucesso da sua empresa! E se você ficou com alguma dúvida escreva para nós através dos comentários!

Written by

Leandro Oliveira é contabilista e economista formado pela PUCSP. Especialista em Finanças e Projetos Six Sigma, possui mais de 17 anos de experiência nas áreas de Finanças e Contabilidade.