Category : Administração | Finanças

Home/Archive by Category "Administração | Finanças" (Page 10)

Gestão e Práticas Administrativas: a importância das metas

Imagine que você está em uma viagem de carro na qual o motorista está vendado e só pode frear, acelerar, virar à esquerda ou à direita ao ouvir ruídos do ambiente externo ou reagir às orientações dos demais passageiros.

O pânico que uma situação como esse geraria na vida real é uma comparação (um tanto exagerada, mas nada inverossímil!) com as empresas que atuam no mercado sem a definição de metas e conhecimento de suas finanças: pode ser que elas cheguem a um destino com segurança, mas sem saber sequer para onde estavam indo e passando por muita confusão durante o trajeto.

Se a sua empresa ainda não usa metas para monitorar o desempenho, saiba qual a importância delas para o negócio.

Mantendo o foco

Para conseguir traçar metas, primeiramente a empresa precisa identificar que objetivos quer alcançar e o que ela precisa fazer para isso. Esse processo faz com que a equipe não se distraia em outras frentes de trabalho e a empresa saiba até onde pode ir em busca dos objetivos.

Ao trabalhar com metas, os gestores também sabem que projetos e iniciativas devem priorizar e os funcionários descobrem como seu trabalho individual contribui para a estratégia mais abrangente do negócio.

Sempre no controle

A definição de metas também ajuda a empresa e os funcionários a ver a que distância ainda estão dos objetivos traçados.

Dessa forma, é possível acompanhar constantemente o progresso no desempenho e implementar possíveis mudanças para otimizá-lo, quando necessário.

Todos motivados

Ninguém quer gastar mais de 8 horas por dia em tarefas que não trazem resultados práticos. Por isso, definir metas faz com que os funcionários tenham algo a buscar a cada dia de trabalho, motivando-os para os desafios que podem encontrar no caminho.

Toda empresa quer vender e lucrar mais, mas quando uma equipe ou funcionário específico sabe exatamente qual o seu papel para alcançar esses resultados, maiores as chances que eles deem o melhor de si.

Integração total

A maioria das empresas é dividida em setores que, quando trabalham em conjunto, produzem os resultados que a empresa precisa para se tornar competitiva e sobreviver no mercado.

No entanto, quando cada um desses “guetos” corporativos busca resultados de forma individual, pode ser que os objetivos estratégicos não sejam alcançados. A definição de metas é importante, portanto, para que as áreas da empresa tenham consciência da interdependência em relação às demais, para que os processos funcionem e tragam os resultados esperados.

O setor de vendas, por exemplo, não pode fazer projeções sem saber se a empresa possui capacidade operacional para entregar os produtos e serviços comercializados. E o contrário também é verdadeiro: de que adianta uma fábrica funcionar a pleno vapor se a área comercial não consegue dar vazão aos produtos no mercado?

As metas podem ser definidas tanto para indicadores de mercado – como aumento do número de clientes ou diversificação das atividades – como para dentro da organização, como melhoria do clima, redução de custos ou realização de treinamentos.

Como para alcançar resultados é preciso investir, na hora de definir metas – para que elas sejam, ao mesmo tempo, desafiadoras e realistas – a dica é analisar as demonstrações contábeis, juntamente com sua equipe para elencar as prioridades e construir métricas de monitoramento. Isso permite que as equipes de trabalho tenham sempre um caminho claro a ser perseguido e não precisem passar pelo aperto do motorista vendado do início do artigo.

E você? Como está a cultura de metas e indicadores de desempenho na sua empresa? Você analisa as suas demonstrações contábeis e financeiras? Compartilhe a sua experiência nos comentários abaixo!

 

As vantagens da boa contabilidade para empresas

Sem falar da obrigatoriedade de ser ter a contabilidade, o empreendedor que visa o crescimento da sua empresa ou, no mínimo, manter um nível de lucratividade precisa ter conhecimento sobre a situação econômico-financeira do seu negócio, fazer planejamento e redimensionar os investimentos. Portanto, a contabilidade é um recurso valioso de gestão, pois suas informações, se analisadas, auxiliam a administração na tomada de decisões e evitar surpresas desagradáveis.

Nesse post, apresento as vantagens de se manter a escrituração contábil, onde as informações contábeis serão utilizadas e como ela pode ajudar no futuro.

Vantagens da escrituração contábil:

Entre as funcionalidades de uma boa escrituração e análise contábil está na melhor compreensão dos custos e despesas da empresa e a possibilidade de redução da carga tributária incidente sobre a operação.

Abaixo listo as vantagens de se manter escrituração contábil em ordem:

1. Oferece maior controle financeiro e econômico da empresa;

2. Facilita acesso ás linhas de crédito.

3. Distribuição de lucros como alternativa de diminuição de carga tributária como pessoa física.

4. Em requerimento de recuperação judicial é imprescindível (Lei 11.101/2005).

5. Prova a sócios que se retiram da sociedade a verdadeira situação patrimonial, para fins de apuração de haveres ou venda de participação.

6. Prova, em juízo, a situação patrimonial na hipótese de questões que possam existir entre herdeiros e sucessores de sócio falecido.

7. Base de apuração de lucro tributável e possibilidade de compensação de prejuízos fiscais acumulados.

8. Contestação de reclamatórias trabalhistas ou outras ações judiciais quando as provas a serem apresentadas dependam de perícia contábil.

9. Evita que sejam consideradas fraudulentas as próprias falências, sujeitando os sócios ou titulares às penalidades da Lei que rege a matéria.

Deste modo, a contabilidade ocupa um papel fundamental para todas as empresas, indo muito além de gerador de impostos.

Você tem alguma dúvida sobre vantagens da boa contabilidade para empresas? Mande suas perguntas para contato@capitalsocial.cnt.br! Nós ficaremos felizes em ajudá-lo!

 

Qual o impacto da projeção financeira no negócio?

A importância de fazer uma projeção financeira está relacionada ao sucesso que a empresa almeja e, por meio dela, conseguir traçar metas para que os objetivos sejam atingidos. O planejamento financeiro é a fonte da continuidade da organização, pois sem ela, é difícil tomar decisões corretas.

As informações são essenciais para empresas de grande, médio e pequeno porte, pois todas devem se preocupar em manter controle das finanças e utilizar a projeção financeira como uma das principais ferramentas para o êxito da organização.

Por que fazer uma projeção financeira

Embora o principal objetivo de uma empresa seja a lucratividade, existem outros objetivos importantes, como a taxa desejável de retorno de capital, a participação de mercado e a obtenção de recursos financeiros.

A principal vantagem da projeção financeira é a capacidade de previsão: avaliando a quantidade de capital disponível e projetando as despesas do negócio, é possível antever as situações que a economia da empresa estará sujeita. Evitar a projeção financeira diminui as chances de um negócio apresentar sucesso ou ser competitivo, pois sem conhecer bem suas finanças, o empresário não saberá administrá-la de maneira estratégica.

A projeção financeira é uma ferramenta fundamental para o desenvolvimento e crescimento de uma organização. Mais do que uma avaliação econômica, com ela o administrador tem maior capacidade de negociar pagamentos, criando menor dependência de recursos de terceiros. Também é possível minimizar os riscos de falência e ter maior segurança na tomada de decisão.

O objetivo da projeção financeira é proporcionar crescimento às organizações, porém, é interessante que essa especulação seja acompanhada por profissionais qualificados, para que as atividades e decisões a serem tomadas não sejam precipitadas ou tardias demais.

Durante muito tempo, a contabilidade foi vista apenas como um sistema de informações tributárias. Hoje em dia, com o mercado altamente competitivo, ela é vista também como um instrumento gerencial que auxilia os gestores no processo de gestão, planejamento, execução e controle e, também, no processo de tomada de decisão. Assim, o profissional contábil passou a ter maior destaque e importância fundamental dentro da organização.

Você tem alguma dúvida sobre projeção financeira? Compartilhe sua dúvida nos comentários ou por e-mail contato@capitalsocial.cnt.br que poderemos ajudá-lo!

 

Direitos e obrigações do MEI, o Micro Empreendedor Individual

Desde que o Micro Empreendedor Individual (MEI) virou lei, em 2008, milhões de brasileiros já legalizaram suas atividades ou negócios.

São artesãos, barbeiros, comerciantes, DJs, fotógrafos e centenas de outros profissionais que durante muito tempo precisavam arcar com as despesas e responsabilidades típicas de uma empresa formal – ou que muitas vezes se viam sem essa opção: abriam mão das proteções legais e atuavam sem registro.

Mesmo após cinco anos dos primeiros cadastros de MEIs, os profissionais (agora microempresários individuais) continuam tendo muitas dúvidas sobre a nova forma de atuar.

Quais são as vantagens para quem opta por esse tipo de registro? Quais são as obrigações? Vamos conhecer a seguir um resumo dos principais pontos importantes para quem acaba de aderir ao MEI ou está pensando em criar sua empresa individual.

Obrigações do MEI

Um microempreendedor individual não pode ter um faturamento maior que R$ 60 mil ao ano. Também não pode ter sócios. Além disso, o MEI tem algumas obrigações simples para se formalizar. São elas:

1. Obtenção de alvará

Deve ser feito na Prefeitura Municipal de acordo com as normas já exigidas para empresas. Seu primeiro alvará é provisório e tem 180 dias de validade.

Depois deve ser renovado de acordo com os períodos estipulados. É importante dizer que mesmo quem trabalha em casa ou como ambulante deve ter seu alvará e buscar as informações na Prefeitura.

2. Relatório de despesas brutas mensais

O microempreendedor individual precisa preencher o relatório de receitas do mês anterior até o 20˚ dia útil do mês seguinte. Anexe ao relatório as notas fiscais de produtos e serviços que receber e que emitir.

O site oficial do MEI tem um modelo de relatório para download.

3. Recolher Imposto e declarar

O único custo mensal da empresa é referente ao DAS, que tem valor fixo de R$ 40,40 para quem tem comércio ou indústria, R$ 44,40 para quem trabalha com prestação de serviços ou R$ 45,40 para quem é comércio e serviços, esse valor é destinado à Previdência Social e ao ICMS ou ao ISS.

A cada começo de ano, o valor do faturamento do ano anterior deve ser declarado e enviado no site oficial do MEI. O próprio empreendedor pode preencher a Declaração Anual do Simples Nacional ou pode também pedir ajuda a um contador.

4. Contratação de um funcionário

No caso de contratar um funcionário, o microempreendedor individual deve pagar um salário mínimo ou o piso da categoria, tendo impostos de apenas 11% sobre o valor do salário como obrigações trabalhistas, sendo 3% Previdência e 8% FGTS.

O objetivo é reduzir impostos para que todos possam legalizar as contratações.

Direitos e benefícios do MEI

As vantagens de ser microempreendedor individual são diversas, como a redução das cargas tributárias e formalização facilitada. Mas os MEIs também contam com diversos outros benefícios, cujos mais importantes são:

1. Cobertura previdenciária

Uma vez que recolhe INSS, o empreendedor individual tem cobertura previdenciária. Ela vale tanto para o empreendedor quanto para a família dele.

Inclui auxílio-doença, aposentaria por idade, salário-maternidade, pensão e auxílio reclusão.

2. Abertura de empresa gratuitamente

Todo o processo para abrir sua empresa é gratuito e você não precisa gastar nada.

Paga-se apenas o imposto único – DAS já citado e não existem mais cobranças extras.

3. Assistência contábil gratuita no primeiro ano

No primeiro ano de abertura da empresa, o MEI conta com a assistência de um escritório de contabilidade optante pelo Simples.

Embora o MEI não seja obrigada a contratar um contador, ter um poderá ajudar a distribuir todo o lucro da empresa isento de impostos de renda para o sócio, já que sem o contador o limite de distribuição é de 8 a 32% do faturamento dependendo do objeto social da empresa.

Você tem outras dúvidas à respeito das vantagens e benefícios de ser Microempreendedor Individual? Envie um e-mail com suas perguntas para contato@capitalsocial.cnt.br que nós teremos prazer em ajudá-lo!

 

Contas pessoais + contas da empresa = problemas, na certa! Saiba por que é preciso dividir

Para elaborar um controle financeiro eficiente é preciso eliminar qualquer aresta de desorganização e bagunça. Afinal de contas, faz parte da gestão empresarial a compreensão exata e minuciosa de onde entram e para onde vão os recursos financeiros.

Portanto, para evitar que sua gestão financeira fique prejudicada, um dos primeiros passos é separar as contas pessoais das contas da empresa.

A administração incorreta, desorganizada e misturada da alocação dos recursos financeiros na conta pessoal e empresarial é um problema comum na gestão financeira de muitas empresas, principalmente nas nascentes e de pequeno porte.

Isso é comum nesses casos pois o próprio sócio acaba iniciando a gestão dentro de sua conta corrente e, caso torne-se comum, pode impactar na saúde financeira do negócio e dificultar o crescimento da empresa.

Acompanhe essas dicas e saiba como a separação entre as contas pode evitar problemas maiores.

Continue Reading –

Que tipos de registros as ONGs devem ter?

Também chamadas de “empresas do terceiro setor”, as Organizações não-Governamentais (ONGs) se caracterizam por não serem nem do setor privado, nem do setor público.

Essas organizações são conhecidas também por não terem fins lucrativos e por atuarem na resolução de problemas sociais ou ambientais. Associações, cooperativas ou fundações podem ser ONGs.

Quer saber mais sobre o que diferencia a gestão dessas organizações?

Confira com a gente a seguir!

Continue Reading –

Fechou no negativo? Saiba como prever e evitar o resultado no vermelho

Um dos principais desafios de empreendedores que estão iniciando uma atividade empresarial é controlar as finanças e evitar o fechamento no vermelho. Esse desafio fica mais aparente nos meses em que o setor comercial fecha abaixo da meta ou há desistência de clientes e queda no faturamento.
Por isso, é importante melhorar as estratégias para aumentar os rendimentos nos meses em que há maior potencial, diminuir os riscos nos meses mais “fracos” e, acima de tudo, equilibrar as contas em todas as épocas do ano. Tudo isso aliado a uma ótima administração e a um bom fluxo de caixa e prevenção, fará com que a empresa cresça gradativamente.

As dicas a seguir poderão servir de base para melhorar as finanças de sua empresa. Confira:

1. Melhore a gestão de empresa

Sem uma boa gestão de empresa, não existe fórmula mágica para evitar o resultado no vermelho e nem como melhorar os resultados. Por isso é importante ter ciência de todos as entradas e saídas, sejam elas de mercadorias ou de dinheiro em espécie.

Por isso, contratar um bom escritório de contabilidade deve ser considerado um investimento e não um gasto. Porém, mesmo confiando plenamente na contabilidade apresentada, é preciso montar uma planilha de gestão para melhorar o controle do fluxo de caixa no dia a dia, além de poder vislumbrar cenários futuros para o negócio. Bons empreendedores veem as finanças como um aliado, não como um problema.

2. Invista em publicidade (com resultados)

Quem nunca ouviu a famosa frase de que a propaganda é a alma do negócio? No entanto, não é qualquer tipo de publicidade que fará aumentar as vendas ou a procura pelos serviços da sua empresa.

Direcionar a publicidade ao público-alvo fará diminuir o investimento e aumentar a taxa de retorno. Com bom conhecimento da região, é possível saber quais os meios trarão melhores resultados. Teste diferentes canais primeiro (online e offline) e mensure. Só aumente o investimento naqueles que você perceber que realmente trazer mais clientes e mais percepção sobre sua marca.

3. Diminua o pró-labore e os gastos fixos

Uma primeira ação para sair do vermelho, é necessário adequar o pró-labore à realidade da empresa naqueles meses de menor arrecadação. Para não ficar mudando suas finanças pessoais sempre que mudar o fluxo de caixa, calcule uma média mensal e defina um período certo para a retirada desse valor. Apertar o cinto no momento em que as contas ficarem complicadas é uma forma também de passar uma mensagem geral para sócios, colaboradores e você mesmo: os tempos são de esforços e todos precisam se adequar, começando por quem está à frente dos negócios.

Outros gastos fixos devem ser readequados para melhorar a saúde da empresa. Por exemplo:

Energia;
Plano de internet;
Telefonia celular;
Salários;
Aluguel.
Cuidado para não confundir gastos com despesas. Aquelas saídas que funcionam como investimentos e no longo prazo trarão mais clientes devem ser mantidas. Já no caso do aluguel, tente negociar formas de pagamento com o proprietário do imóvel e adote medidas para evitar os outros gastos. Caso seja necessário, tente mover sua empresa para outro local onde os gastos sejam menores.

4. Venda mais!

Sim, antes de pensar em cortar funcionários, atrasar pagamentos, enxugar e se frustrar, pense em saídas que ativem sua criatividade empreendedora. Que tal uma ação ou promoção que traga clientes o suficiente para equilibrar as contas?

Uma saída ainda melhor: quem sabe você possa procurar seus clientes atuais e vender mais para eles, oferecer outros serviços ou produtos – o chamado upsell? No mínimo, será uma forma de conhecer melhor as demandas de seus clientes para poder oferecer propostas melhores e mais lucrativas no futuro.

5. A prevenção é a melhor saída

Todo empresário deve conhecer muito bem a demanda pelo produto que está oferecendo e o ritmo do mercado em que atua. Dessa forma, é possível ter exata noção dos meses do ano em que o fluxo é menor. A empresa precisa de capital de giro e de uma reserva que possa ser usada nos meses que tiveram retorno mais baixo.

Para não ter uma distância muito grande entre os meses bons e ruins, busque alternativas para trazer os clientes nessas épocas, seja com promoções e facilidades no pagamento ou mesmo ampliando o cardápio de produtos e serviços.

Dica extra: procure uma consultoria

Quando a situação voltar ao azul, não é hora de relaxar. Pelo contrário: arregace as mangas e procure ajuda também, para prevenir novos momentos de dificuldades. Uma consultoria bem aplicada auxilia a empresa a alavancar seu rendimento, afastando-a cada vez mais da zona do vermelho.

Além dessas dicas é preciso estudar sempre, conhecer a fundo sobre gestão e estudar as finanças da empresa. Fazendo isso, você aumentará consideravelmente as chances de sucesso do seu negócio.

Você ficou com dúvidas sobre como retomar o saldo positivo nas contas da empresa? Mande suas perguntas para contato@capitalsocial.cnt.br. Nós ficaremos felizes em poder ajudá-lo!

 

Como organizar despesas e receitas da empresa de um jeito fácil

De cada quatro empresas criadas no Brasil, uma declara falência antes de completar dois anos de atividade.

E um dos principais motivos para essa circunstância é a falta de organização das finanças.
O empresário que acompanha de perto as finanças de seu negócio tem melhores possibilidades de calcular os custos e as compras, acompanhar seu potencial de venda, projetar a margem de lucro de seu produto ou serviço, bem como fazer investimentos de médio e longo prazo.

Um controle detalhado das entradas e saídas (fluxo de caixa) é necessário para que a gestão da empresa possa trabalhar com mais segurança.

Esse controle é de suma importância tanto para calcular o capital de giro quanto para definir datas de pagamentos, recebimentos e também para reduzir impostos.

Para você que está dando os primeiros passos como empreendedor e deseja obter o crescimento dos negócios, veja algumas de dicas de como melhorar os resultados da empresa fazendo um bom controle financeiro.

Primeiro passo: onde organizar

Você pode organizar os custos, despesas e receitas de sua empresa através de:

– Planilhas de Excel
– Software de gestão financeira
– Lápis e caderno

A escolha fica a seu critério. O que importa é que o controle seja bem detalhado.

É importante que essa ferramenta de organização que você selecionou seja de fácil acesso para você, pois assim todas as mudanças poderão ser anotadas no ato — além de evitar imprevistos financeiros no final dos cálculos.

Como fazer o controle

Diariamente, você irá registrar os seguintes itens em seu controle financeiro:

1. Saldo inicial

É o valor que inicia o controle financeiro. Esse valor é o quanto você tem disponível no início do período, sem contar com os valores que irão entrar ou serão reduzidos.

2. Entradas

É o que você recebe pela venda do produto ou serviço. Você deve descrever a data de recebimento, a origem de cada receita e registrar qual foi a forma de pagamento (dinheiro, cheque pré-datado, depósito ou cartão de crédito) bem como o valor de cada entrada.

3. Saídas

São os valores que você irá pagar. Não deixe de registrar o destino das despesas e de que forma foram feitos os pagamentos. Classifique as despesas em “gastos fixos” e “gastos variáveis”.

Você também deve projetar as despesas recorrentes para facilitar a previsão de despesas.

Despesas fixas

Todo gasto fixo é previsível e, por isso, deve ser contabilizado. Alguns exemplos de gastos fixos são: aluguel, obrigações trabalhistas, folha de pagamento e honorários do escritório de contabilidade.

Despesas variáveis

Todo gasto cujo valor não pode ser previsto ou que sofre variações. Exemplos: despesas com matéria prima, comissões de venda, embalagens, fretes de vendas, contas de telefone, energia e água.

Custos

Custos são todos os gastos envolvidos no desenvolvimento ou produção de um produto ou serviço. Envolvem matéria-prima, mão-de-obra e gastos gerais de fabricação. Os custos podem ser classificados em diretos e indiretos.

4. Saldo operacional

É o resultado financeiro das movimentações diárias. Corresponde à quantidade de dinheiro que entrou durante um período estipulado (mês, semana ou dia) e é obtido através do saldo entre gastos, entradas e saídas da empresa durante o tempo estipulado.

5. Saldo final

É a soma do saldo inicial com o operacional. Esse valor define quanto de receita foi acrescido a um negócio, ou caso feche em margem negativa, quanto será reduzido do saldo inicial.

Cuidados

– Separe o controle financeiro da empresa de suas finanças pessoais.
– Não contabilize como saldo positivo cheques devolvidos ou a serem compensados.
– Contas em atraso devem ser cobradas com rapidez para não prejudicar o capital de giro.
– Faça uma anotação das movimentações bancárias, como recebimento de depósitos, transferência e saques.
– Mantenha a disciplina em dia: não deixe de anotar e fazer atualizações periódicas no seu controle financeiro. Isso é fundamental para o sucesso da sua gestão financeira.
– Busque fazer sua projeção financeira anual. Isso facilita a projeção de despesas e receitas, evitando surpresas desagradáveis.

Sem segredo, anotar tudo é a maneira mais fácil de organizar as despesas e receitas de uma empresa. Com organização e um controle minucioso, é possível ver à quantas caminha o destino financeiro de sua empresa — e assim, pensar qual é o próximo passo a ser tomado!

Você tem alguma dúvida sobre como organizar as despesas e receitas da sua empresa? Mande um e-mail para contato@capitalsocial.cnt.br! Nós ficaremos felizes em ajudá-lo!

5 dicas para escolher um bom escritório de contabilidade

Um dos principais passos que devem ser seguidos por quem deseja iniciar um empreendimento – seja ele de pequeno, médio ou grande porte – é garantir e construir uma relação com um escritório de contabilidade.

Além de ser o primeiro consultor do empreendedor, o escritório contábil será responsável pelas resoluções e acompanhamentos de todas as questões burocráticas da empresa, da elaboração dos contratos e cálculos das obrigações trabalhistas a melhorias nos sistemas de gestão da empresa.

Consequentemente, o escritório terá grande impacto crescimento dos negócios. Percebeu a importância de contratar um bom escritório de contabilidade?

Pois bem, para facilitar ainda mais a procura e mostrar que este processo não é um “bicho de 7 cabeças”, selecionamos 5 dicas essenciais para a escolha de um bom escritório contábil. Confira as informações e garanta o sucesso da sua empresa!

1. Considere indicações alheias

Assim como nos demais segmentos de negócios, a indicação é uma das melhores maneiras de contratar um bom serviço.

No caso dos escritórios de contabilidade, uma boa opção é realizar pesquisas pela internet: após encontrar o escritório desejado, solicite à empresa uma lista de clientes para que sejam obtidas referências profissionais antes de formalizar o contrato de prestação de serviços.

O escritório de contabilidade não precisa estar localizado na mesma região da empresa, e sim prestar um serviço com suporte adequado e de boa qualidade.

Vale salientar que a escolha deve levar em consideração o profissionalismo do escritório e não somente as relações de amizade.

2. Confirme a situação cadastral do escritório em órgãos específicos

Uma vez encontrado o escritório, é imprescindível checar a inscrição dos profissionais – e do próprio escritório – nos órgãos específicos.

Consulte o Sescon (Sindicato das Empresas de Serviços Contábeis) para saber se o escritório é um afiliado e também o CRC (Conselho Regional de Contabilidade) para confirmar o registro dos responsáveis técnicos do escritório, bem como a regularidade de tais inscrições.

3. Analise os modelos de relatórios que serão enviados à empresa

O escritório de contabilidade deverá enviar – mensalmente – relatórios com informações como cobrança de tributos e folha de pagamento dos funcionários.

É interessante conhecer os modelos destes relatórios e se os mesmos satisfarão a organização da empresa.

Caso encontre divergências ou falta de informação nestes relatórios, discuta com o contador a possibilidade de adaptação.

4. Entenda como serão pagos os honorários e impostos

Ao contrário do que muitos leigos pensam, o escritório contábil não é responsável pelo pagamento de contas e tributos.

Apesar de, em muitos casos, conseguirem reduzir impostos empresariais, o pagamento dos títulos ficam à cargo da empresa.

O escritório de contabilidade fica responsável apenas por organizar tais vencimentos e encaminhá-los, nas respectivas datas, à empresa.

Quanto aos honorários, não existe um valor fixo a ser cobrado pelos escritórios.

Tal montante depende da diversidade de serviços os quais serão oferecidos.

A fim de comparação, é possível fazer um orçamento em vários escritórios, analisando o custo-benefício de cada um. Mas atenção! Desconfie de preços praticados abaixo da média de mercado.

5. Analise o sistema de comunicação oferecido pelo escritório

Respostas quase que instantâneas e resoluções rápidas são essenciais na relação cliente x contador.

Por isso, manter canais de contatos ágeis e sempre ativos é um diferencial que deve ser levado em conta.

Questione se o escritório possui telefones ativos, e-mail, site ou outro meio de comunicação viável para ambos e analise o tempo de resposta aos questionamentos.

Para finalizar, é preciso ter confiança nos profissionais e no escritório de contabilidade.

Lembre-se de que nesta relação serão discutidas informações confidenciais e, por isso, sentir-se confortável é imprescindível!

Você quer contratar um escritório de contabilidade, mas está em dúvida sobre como proceder? Mande suas perguntas para contato@capitalsocial.cnt.br, nós ficaremos felizes em ajudá-lo!

5 passos para dominar seu mercado em 2014

Quem busca sobreviver no mercado precisa programar melhorias em seu negócio. Esse passo é fundamental, pois as demandas mudam constantemente. Por isso, se você deseja melhorar seu negócio em 2014, deve se adequar a gestão da empreitada e obedecer mais às exigências dos clientes.

Nos cinco passos básicos abaixo, você irá aprender a guiar e como utilizar ferramentas de como inovar no seu negócio. Assim, o ano de 2014 será um grande ano para empresários que buscam dominar o mercado nacional e internacional.

1. Coloque objetivos alcançáveis por ações

Estabelecer objetivos deve ser parte da rotina semanal de sua empresa, ao invés de basear em uma data no início de um calendário. Em 2014, não trace metas baseado em métricas para sua empresa. Ao invés disso, estabeleça ações que seu negócio pode tomar para trazer você mais próximo do seu resultado desejado. Dessa forma, você consegue medir seu progresso em direção aos objetivos de sua empresa.

2. Conversar com empreendedores estabelecidos

Parece mentira, mas é isso mesmo que você acabou de ler. Eles têm o segredo do sucesso. Alguns, é claro, não irão lhe oferecer esses segredos, mas os passos básicos para conseguir alavancar a empresa, poderão ser oferecidos. O ideal é buscar por empreendedores na família, amigos e pessoas próximas que já possuem experiência. Assim, eles poderão dedicar mais tempo e irão oferecer maiores detalhes.

3. Conhecer e observar estabelecimentos similares

É importante conhecer mais sobre o mercado que você irá investir. E a melhor experiência é visitar um negócio similar ao que se pretende abrir. Afinal, esse processo pode ser uma ótima forma do empreendedor avaliar e ganhará mais informações de como seria administrar um negócio.

No local, procure fazer o seguinte: avalie a equipe, os clientes e instalações. Faça perguntas a você mesmo, como “você se vê administrando este negócio?” Não fique parado, observe todos os detalhes.

4. Capacite a equipe de vendas para atender seus clientes

O fracasso de uma empresa, muitas vezes, não está apenas no empresário. O erro pode está na equipe que atende seus clientes. Evite cometer esse erro. Muitos não devem saber, mas para o sucesso chegar ligeiramente, as empresas buscam realizar um bom atendimento.

Para que sua empresa consiga isso, elas devem estabelecer uma política permanente de capacitação da equipe, desenvolvendo sua capacidade de negociar e atender os clientes. Pode ser um grande desafio, mas vale muito a pena.

5. Inovar para crescer

Entra ano e sai ano e sua empresa fica na mesma? É comum isso acontecer. E desse jeito, a empresa começa a desandar. Para que isso não aconteça, inove. Saiba que, empresas que conseguem inovar de alguma forma crescem mais e constroem um ambiente muito mais flexível. As empresas nesse segmento, você pode acreditar ou não, elas estão sempre abertas para novas mudanças.

Antes de você alavancar sua indústria positivamente, você precisa entender como fazer isso. Uma das maneiras de fazer isso é usar a experiência do passado para redirecionar sua empresa. Portanto, olhe para os eventos de 2013 e veja o que você pode aproveitar para mudar em seu negócio.

Considere o que o pessoal de sua área está dizendo — e como eles estão se expressando. Seu mercado está passando por situações mais delicadas, ou está com uma demanda maior do que as empresas atuais conseguem lidar? É preciso avaliar essas situações para acertar nos passos seguintes de sua empresa.

Não é simples criar mudanças em uma empresa. Por isso que você deve buscar mais informações e contratar profissionais para realizar a tal atividade. Agindo desse modo, o sucesso poderá ser notado a metros de distancia.

Você tem alguma dúvida em relação à como dominar o mercado no ano que vem? Envie suas perguntas para contato@capitalsocia.cnt.br. Nós ficaremos felizes em respondê-lo!