Category : Impostos | Tributos

Home/Archive by Category "Impostos | Tributos" (Page 3)

Como funciona a contabilidade nas micro, pequenas e médias empresas?

As micro, pequenas e médias empresas possuem grande importância para a economia do país, umas vez que a maioria dos negócios que operam no Brasil são constituídos dessa parcela. São essas empresas as responsáveis pela geração de emprego e riquezas, contribuindo significativamente para o aumento do PIB (Produto Interno Bruto).

Apesar disso, muitas delas não contam com uma gestão eficaz, fato principal do encerramento das atividades logo nos primeiros anos. O motivo disso pode ser desconhecimento por falta do empresário, ou uma assessoria inadequada no serviço prestado pelos contadores.

Pensando nisso, criamos esse post com o objetivo de esclarecer como funciona a contabilidade nas micro, pequenas e médias empresas. Confira:

Continue Reading –

Você sabia que existem 3 livros contábeis da sua empresa?

A atividade empreendedora exige coragem e criatividade. O empresário precisa olhar para frente, com o objetivo de projetar os cenários futuros, sempre com o auxílio de algumas ferramentas que irão basear as suas decisões. A contabilidade é um destes instrumentos. Contar com uma assessoria contábil especializada deixa o dono do negócio livre para criar, mas com os dados relevantes de sua empresa disponíveis para subsidiá-lo.

A legislação em vigor possui algumas particularidades, com relação à forma como os registros diários de sua empresa devem ser feitos. Você sabia que existem três livros contábeis em sua empresa? De acordo com a legislação vigente, diversas empresas devem possuir pelo menos três livros contábeis: livro diário, livro razão e livro caixa. O post de hoje vai te ajudar a conhecer um pouco mais sobre eles.

Continue Reading –

Ebook Imposto de Renda Pessoa Física – IRPF 2017

O Ebook Imposto de Renda Pessoa Física é o de maior sucesso na Capital Social agora nova versão com atualizações para o IRPF 2017. Entenda melhor a Declaração de Imposto de Renda Pessoa Física.

  • O que é Imposto de Renda e quem Deve Declarar
  • Quais são os tipos de Rendimento – new
  • Quais são os principais documentos que devem ser separados.
  • Declaração Completa ou Simplificada – Qual escolher – new
  • Dicas: Quais são os erros mais comuns e como pagar menos imposto.
  • E muito mais….

 

Você sabe fazer a declaração anual de faturamento da sua microempresa?

A declaração anual de faturamento

No mundo empresarial, o primeiro trimestre do ano é sempre marcado pelo ajuste de contas com o fisco. É natural que durante esse período surjam muitas dúvidas a respeito da declaração anual de faturamento, especialmente entre microempresários individuais.

É importante ressaltar a presença fundamental de uma consultoria contábil de confiança para evitar irregularidades que podem ser traduzidas em multas, juros e punições por parte do poder público, bem como para assegurar que o pequeno negócio faça bom uso de todas as facilidades e incentivos oferecidos à categoria. Com isso em mente, preparamos este artigo com o objetivo de te mostrar as diretrizes essenciais para não cair na malha fina. 

Continue Reading –

Conheça a tendência outsourcing contábil

Outsourcing contábil?

Nos últimos anos, muitas mudanças estão acontecendo no mercado empresarial no Brasil. Em termos de contabilidade, diversas alterações estão em curso, visando adequar as práticas brasileiras em relação ao padrão internacional do setor, que promete que as empresas de pequeno, médio e grande porte realinhem suas estratégias em alguns meses.

Com isso surge a necessidade de fazer uma espécie de “reforma” no setor contábil, o que pode contribuir para novas tendências surgirem. E uma das mais promissoras é a do outsourcing contábil, que é, em linhas gerais, uma terceirização desses serviços. Mas você sabe realmente como ele funciona? Se ainda não, leia o texto a seguir e confira:

Continue Reading –

Quais impostos uma empresa paga na emissão da NF-e?

A nota fiscal eletrônica (NF-e) é um tipo de documentação fiscal que tem a mesma validade de uma nota fiscal impressa, mas foi elaborada com o objetivo de modernizar o sistema de notas fiscais do Brasil.

O surgimento da NF-e otimizou não apenas sua emissão, mas também facilitou o armazenamento digital e os meios de fiscalização do governo.

Os empreendedores que estão à frente de negócios de micro e pequeno porte, sobretudo aqueles que optaram pelo regime de tributação do Simples Nacional, podem ser bastante beneficiados com a emissão de NF-e em sua empresa.

Com esse tipo de nota, é possível documentar de maneira autenticada as operações de circulação de mercadoria ou de prestação de serviços, com muito mais segurança e praticidade e com a nova legislação que obriga as empresas a informarem o consumidor quais são os tributos que incidem em seu consumo (Lei nº 12.741/2012), não haverá dificuldade em cumprir as novas determinações, se o empreendedor souber acertadamente quais são os impostos e contribuições que incidem na NF-e emitida.

Você saberia dizer quais seriam esses tributos? Continue acompanhando nosso artigo e veja a carga tributária que é cobrada em uma NF-e:

Continue Reading –

Lucro Real ou Presumido: Como escolher?

Se sua empresa fatura acima do Limite do Simples Nacional ou não há quaisquer vantagens em optar pelo regime simplificado, restam as opções do Lucro Presumido e do Lucro Real para o enquadramento tributário.

Longe de ser um bicho de 7 cabeças, a opção nesses regimes requer um controle maior na gestão da empresa. Essa escolha muda as obrigações, os cálculos e apurações do IRPJ, da CSLL, do PIS e da Cofins.

Neste post, vamos deixar mais claras as diferenças entre as duas.

Continue Reading –

Você sabia que existem 3 livros contábeis da sua empresa?

A atividade empreendedora exige coragem e criatividade. O empresário precisa olhar para frente, com o objetivo de projetar os cenários futuros, sempre com o auxílio de algumas ferramentas que irão basear as suas decisões. A contabilidade é um destes instrumentos. Contar com uma assessoria contábil especializada deixa o dono do negócio livre para criar, mas com os dados relevantes de sua empresa disponíveis para subsidiá-lo.

A legislação em vigor possui algumas particularidades, com relação à forma como os registros diários de sua empresa devem ser feitos. Você sabia que existem três livros contábeis em sua empresa? De acordo com a legislação vigente, diversas empresas devem possuir pelo menos três livros contábeis: livro diário, livro razão e livro caixa. O post de hoje vai te ajudar a conhecer um pouco mais sobre eles.

Livro diário

Neste livro contábil os registros são feitos em ordem cronológica (dia, mês e ano) de todos os fatos que afetam o patrimônio de sua empresa. Pode ser escriturado de forma manuscrita, mecanizada ou informatizada, sempre em idioma e na moeda que estiverem em vigor no Brasil. Também podem ser escriturados de forma resumida ou sintética, com periodicidade diária ou mensal, tendo o respaldo de livros auxiliares para armazenar a movimentação de algumas contas e de determinadas operações específicas.

No caso do livro diário manuscrito, é preciso lavrar Termo de Abertura e Termo de Encerramento, antes do início de sua utilização. Os termos precisam ser registrados na Junta Comercial ou no cartório em que estiverem arquivados os atos constitutivos, com as assinaturas de um dirigente da empresa e de um profissional habilitado.

Já para os livros diários escriturados de forma informatizada ou mecanizada, o Termo de Abertura e o Termo de Encerramento constarão na primeira e na última folha, também com as assinaturas de um profissional habilitado e de um dirigente da empresa. Nesta hipótese, o processo pode ser feito após o livro contábil já estar em uso, devendo ser encadernado e registrado na Junta Comercial ou no cartório em que estiverem arquivados os atos constitutivos.

Livro razão

É através deste livro contábil que poderemos saber a movimentação de crédito e débito de todos os itens que compõem o patrimônio da sua empresa. O livro razão também registra os fatos que afetam o patrimônio da empresa, porém, o enfoque aqui é dado nas contas que constituem este patrimônio.

Assim como no livro diário, este livro contábil não deve conter rasuras, entrelinhas ou qualquer indício que ponha em dúvida os registros. Também pode ser escriturado de maneira manuscrita, mecânica ou informatizada. Entretanto, não são necessárias a autenticação, nem o registro na Junta Comercial e no Cartório.

Livro caixa

Alguns livros, que são obrigatórios pela legislação, podem ser utilizados como livros auxiliares na sua escrituração contábil. A utilização de livros contábeis auxiliares serve para reduzir consideravelmente o volume de registros no livro diário. Entre os livros auxiliares, um dos mais importantes é o livro caixa.

Neste livro os registros contábeis também são feitos em ordem cronológica. Por isso, podem ser utilizados como auxiliares do livro diário, embora possuam algumas especificidades que devem ser seguidas. No livro caixa a finalidade é registrar todos os recebimentos e pagamentos. Costuma ser utilizado pela tesouraria da empresa e auxilia, posteriormente, na declaração do Imposto de Renda.

O uso do livro caixa é facultativo para todas as empresas, com exceção daquelas que optam pelo Simples Nacional. Nestes casos, os empreendedores são obrigados pelo fisco a utilizar pelo menos estes três livros contábeis.

O controle destes livros, pelo dono do negócio, é fundamental para o sucesso do empreendimento. Muitas vezes, contratar uma empresa especializada será mais vantajoso para o empresário, pois o permitirá ter as informações disponíveis para auxiliá-lo nos momentos em que as decisões mais importantes precisam ser tomadas. Use os números como parceiros para proteger sua criatividade e fique, assim, cada vez mais próximo do sucesso. Ainda tem dúvidas? Deixe um comentário!

 

Como realizar o Planejamento Tributário?

A alta carga tributária existente no Brasil é uma reclamação constante tanto de empreendedores nacionais quanto de empresários estrangeiros. Além de comprometer a gestão de negócios situados no país, o elevado montante de tributos exigidos pelo governo afasta os investimentos externos.

Diante deste quadro, o contribuinte normalmente opta por adotar uma das seguintes atitudes: simplesmente sonegar tributos, correndo o risco de ser autuado pelo Fisco, articular-se junto a entidades representativas para pressionar o governo a realizar uma reforma tributária ou realizar um planejamento tributário legal e eficaz para diminuir os impactos ou o recolhimento de impostos e contribuições. Enquanto a primeira opção é bastante arriscada e pode configurar crime tributário, a segunda atitude normalmente gera pouquíssimos resultados.

Assim, para assegurar o desenvolvimento dos negócios de forma segura e legal, resta ao contribuinte brasileiro organizar suas atividades e operações para obter um menor ônus fiscal com base no direito constitucional de realizar um planejamento tributário.

O que é planejamento tributário

Uma parte representativa dos maiores custos das empresas brasileiras está relacionada ao recolhimento de impostos, taxas e contribuições. Assim, desenvolver um estudo para obter formas de diminuição da quantidade da carga tributária dentro da lei é fundamental para a sobrevivência de um negócio.

Há possibilidade da diminuição da carga tributária decorrer da própria lei, como no caso da concessão de benefícios fiscais. Muitos estados oferecem alíquotas diferenciadas de ICMS para atrair indústrias. As empresas podem optar pela criação de fábricas em estados mais atrativos como forma de planejamento tributário decorrente da própria legislação.

Além disso, o planejamento tributário pode atuar de três formas básicas. Na primeira hipótese, a finalidade é evitar a incidência do fato gerador do tributo. No caso de pagamento dos sócios nas empresas, por exemplo, no qual incide Imposto de Renda quando a parcela é paga na forma de pró-labore, é legalmente possível realizar o pagamento por meio de distribuição de lucros, situação na qual não há obrigatoriedade de recolhimento do imposto.

Elisão x evasão: como pagar menos tributos dentro de lei

Na intenção de diminuir a carga tributária, muitos contribuintes adotam atitudes que, ao contrário de serem permitidas ou não proibidas pela lei (classificadas como elisão fiscal), são expressamente proibidas pela legislação e podem gerar multas, além de serem entendidas como crimes à ordem tributária.

A forma ilegal de diminuição dos tributos é classificada genericamente como evasão ou sonegação fiscal. Extrapolando o direito constitucional de organizar seu negócio para recolher menos tributos, o empresário incorre em crime ao utilizar procedimentos que claramente são contrário à legislação. É o caso, infelizmente bastante comum, das operações de compra e venda sem emissão de notas fiscais ou lançamentos contábeis de despesas inexistentes. Também são exemplos de evasão os diversos tipos de simulações e as fraudes.

A importância da contabilidade para o planejamento fiscal legal

Além de conhecer a legislação tributária detalhadamente para encontrar formas legais de diminuição de tributos, é essencial que o empreendedor mantenham seus indicadores contábeis rigorosamente atualizados. Por isso, para a realização de um planejamento tributário eficaz e dentro da lei, é importante que o empresário conte com o auxílio de um profissional contabilista.

Dados contábeis confiáveis são o ponto de partida para uma boa análise das possibilidades tributárias de uma empresa. Meras estimativas e erros de avaliação podem comprometer um bom planejamento e gerar riscos evitáveis de autuações e multas.

Planejar as operações da sua empresa para diminuir o recolhimento de tributos é fundamental para economizar recursos tão importantes para novos investimentos. Para assegurar que o planejamento tributário de seu empreendimento esteja de acordo tanto com a legislação, quanto adequado à situação da sua empresa, conte com o auxílio de especialistas!

Sua empresa adota alguma forma de planejamento tributário? Compartilhe com a gente nos comentários!