Franqueamento de Negócio: O que você precisa saber

Franqueabilidade do Negócio
Franqueabilidade do Negócio – Quiz
outubro 12, 2017
Remuneração de Dirigentes
Como funciona a Remuneração de Dirigentes em uma Organização da Sociedade Civil
outubro 23, 2017
Exibir tudo

Franqueamento de Negócio: O que você precisa saber

Franqueamento de Negócio

O setor de franquias está em crescente ascensão, e mesmo nesses tempos de crise tem tido um papel importante na economia do nosso país.

O motivo é bem simples: é atrativa tanto para o franqueador (empresa que está cedendo sua marca e modelo de negócio), quanto para o franqueado (pessoa que adquire os direitos de usar a marca, bem como seu modelo de negócio) e ainda gera resultados para ambos os lados.

No modelo de franquia, o franqueador pode expandir facilmente o seu negócio e marca, tornando-a reconhecida em diversas regiões com um esforço menor.

Já para o franqueado, este tem acesso à todo um know-how e modelo de negócios e ferramentas, nas quais apenas deve seguir para garantir o sucesso de sua franquia.

E então, achou interessante ou já pensou se o seu negócio pode se tornar uma franquia? Quer fazer o seu negócio crescer e expandir neste modelo de negócios? Neste artigo vamos tirar as maiores dúvidas desse segmento. Então, continue lendo! 😉

1. O que é uma franquia

De acordo com a Lei 8955/94:

Franquia empresarial é o sistema pelo qual um franqueador cede ao franqueado o direito de uso de marca ou patente, associado ao direito de distribuição exclusiva ou semi-exclusiva de produtos ou serviços e, eventualmente, também ao direito de uso de tecnologia de implantação e administração de negócio ou sistema operacional desenvolvidos ou detidos pelo franqueador, mediante remuneração direta ou indireta, sem que, no entanto, fique caracterizado vínculo empregatício.

Ou seja, a franquia é um sistema em que o franqueador cede ao franqueado o direito de usar sua marca ou patente, distribuir seus produtos e serviços e ter acesso ao uso de suas tecnologias de gestão do negócio.

Vale ressaltar que nesse sistema, o franqueador dá as condições necessárias para que o sucesso de sua marca seja transmitido para a franquia. E essas condições podem ser consideradas todo o modelo de negócio, que inclui documentação com os processos já padronizados, treinamentos necessários, informações sobre a franquia e muito mais.

Então, se você está pensando em franquear o seu negócio, tenha em mente que a organização será primordial e um bom tempo deverá ser empregado no planejamento do negócio. Mas não se preocupe, tudo valerá a pena e falarei sobre as vantagens à seguir. 😉

2. Vantagens de franquear o meu negócio

Vantagens de franquear o negócio

 

Franquear o negócio, como já foi dito antes, dá uma série de vantagens para ambos os lados, franqueador e franqueado. O franqueado terá acesso a todas as informações necessárias e deverá apenas de implantá-las e depois focar os seus esforços em gerenciar o negócio. Agora, o franqueador também tem as suas, que são:

Rápida expansão

A expansão desse modelo de negócios é muito maior que um modelo tradicional. Isso se dá pelo fato de o maior esforço financeiro ser realizado por parte dos franqueados individualmente. O franqueador disponibiliza seus conhecimentos e documentações necessárias para os interessados, que podem ser vários e abrirem diversas franquias simultaneamente. O lado positivo é que um público consumidor maior é alcançado e a dificuldade dos concorrentes nesse processo aumenta.

Aspectos jurídicos

Outro ponto a favor do franqueador, é que já existe uma legislação aplicada às franquias. A Lei do Franchising desde 1994 estabelece claramente as responsabilidades das partes e a não existência de vínculos trabalhistas e fiscais entre franqueadora e franqueado.

Poder de compra da rede

Conforme a rede vai crescendo, aumenta também o poder de negociação com os seus fornecedores homologados. Isso gera economias de escala e consequentemente uma maior lucratividade do negócio.

Organização do Conhecimento

Além do franqueador fornecer ao franqueado as informações com o know-how da empresa, um canal de comunicação com os franqueados e equipes pode gerar grandes frutos. Isso permite uma troca de conhecimentos seja realizada e isso pode acarretar como resultado o aumento do potencial de negócios da marca, já que a aplicação de práticas bem sucedidas, certamente gera vantagens competitivas para toda a marca e seus franqueados.

Recomendamos para você:  Gestão e Práticas Administrativas: Como fidelizar meus clientes

Receber uma parcela das receitas do franqueado

Isso mesmo. O franqueador recebe algumas taxas do franqueado, são elas:

Taxa de Franquia: É o valor recebido pela concessão da franquia e se refere ao direito de fazer parte da rede, usar a marca e poder acessar todo o know-how desenvolvido pela franqueadora.

Taxa de Royalties: Taxa recebida periodicamente (mensalmente) como retribuição pelo acesso contínuo do know-how e demais benefícios, como programas de capacitação, suporte e fornecedores homologados.

Taxa de Marketing: Também conhecida como taxa de publicidade ou propaganda, é a taxa recebida para que se forme um fundo de campanhas de divulgação a nível nacional, regional ou local. A franqueadora é responsável pelo gerenciamento desses fundos.

Sabendo isso, vamos para o próximo tópico que é:

3. Como saber se posso abrir uma franquia?

Dúvida - devo abrir franquia?

É preciso ficar atento, pois nem todo negócio daria uma boa franquia.

Perguntas como “meu negócio é escalável?”, “pode ser facilmente replicável por outras pessoas?” e “estou disposto a correr atrás para fazer acontecer?” devem ser feitas, para saber se pode entrar para esse ramo. Então, para saber se o franqueamento de negócio é adequado para os seus interesses, é recomendado que coloque em prática os passos à seguir:

Faça a Análise de Franqueabilidade

A Análise de Franqueabilidade serve para analisar os pontos positivos e negativos, bem como os críticos e fundamentais para que um negócio seja franqueável e com sucesso.

Os pontos a se levar em consideração são:

Força da Marca: Se você já está pensando em franquear o seu negócio, isso significa que sua marca já está registrada no INPI e tem um posicionamento bom no mercado, além de ter a fidelidade de seus clientes. Se a empresa ainda é recente e não tem uma marca forte, é preciso então possuir atributos que sirvam para “compensar” esse aspecto. Esses atributos podem ser diferenciais do produto ou realização do serviço.

Potencial de mercado e concorrência: Nesse ponto você avalia o potencial de mercado, analisando se o seu produto ou serviço prestado possui muita concorrência direta de produtos similares ou que possam substituí-lo.

Maturidade do Negócio: Quanto mais maduro um negócio é, maior a probabilidade de ser um sucesso. Além disso, se está há anos no mercado, isso significa que não se trata apenas de uma moda passageira e sim algo sólido.

Know-how e Potencial de cópia do negócio: O Know-how são os processos de gestão e operação do negócio. Eles devem estar devidamente consolidados, documentados e serem de fácil entendimento e aplicação. Esse é um ponto chave para o franqueamento de negócio, e além disso, um negócio para ser franqueável precisa ser altamente replicável em maiores escalas, por isso padronização e documentação são importantes.

Pontos de atenção para avançar

Mix de produtos: A diversidade de produtos produzido (caso tenha) ou a exclusividade desses produtos está diretamente relacionada ao posicionamento da marca no mercado e atração do público consumidor.

Modelo financeiro e fontes de receita: Analise as margens de lucro do(s) seu(s) produto(s) e as despesas médias de operação de uma unidade no modelo de negócio a ser franqueado.

Barreiras de saída do negócio: Tratam-se de um conjunto de fatores que fazem com que o franqueado pense várias vezes antes de decidir sair da rede por algum motivo. Os principais motivos são:

  • lucratividade e rentabilidade do negócio;
  • força da marca;
  • exclusividade ou inovação em produtos;
  • condições especiais de compra ou fornecimento de produtos;
  • qualidade do suporte prestado da franquia à franqueadora;
  • qualidade da relação entre franqueadora e franquias no que diz respeito à parceria de negócio;
  • entre outros.

Somente os Royalties e Taxa de Franquia não te darão dinheiro

Fique atento à isso!

No Plano de Negócios, além dos royalties e taxas de franquia, o franqueador deve ter uma fonte de receita. O fornecimento de produtos e a execução de serviços, são bons exemplos, já que além de criarem fluxo de recursos, também criam barreiras de saída.

Recomendamos para você:  Gerenciar o estoque pode ampliar a lucratividade de um empreendimento

Um caso real de franqueadora que realiza esse tipo de atividade, é O Boticário! Eles próprios fazem o fornecimento dos produtos de beleza à sua rede de franqueados. Pense em qual diferencial você poderá agregar aos seus franqueados como forma de aumentar sua fonte de receita. 😉

Sabendo disso, movemos para o próximo tópico que é…

4. Passo-a-passo para franquear

Passo a passo para franquear

Se você chegou até aqui, deve ser porque está interessado em transformar o seu negócio em uma franquia. Então nada mais justo do que ter uma ideia de quais são os passos necessários para alcançar o seu objetivo. A seguir, veja quais são:

a) Conheça a Lei do Franchising

Conhecer e entender a Lei do Franchising é a primeira providência que deve ser tomada quando você decide realizar o franqueamento de negócio, afinal, colocar a mão-na-massa sem antes saber os seus direitos e deveres certamente causará problemas cedo ou tarde.

b) Planeje a transição da empresa para franquia

Por mais que a sua empresa já esteja no mercado há um longo tempo, é preciso ter consciência de que o Plano de Negócio deverá ser mudado se o seu desejo é realmente fraqueá-lo. Você deverá planejar desde a estrutura e atrativos que farão os clientes comprarem dos franqueados, até mesmo qual a estrutura de custos e parcerias para o bom desempenho da marca.

c) Sistematize os processos

É preciso pensar no tipo de vantagem que o franqueado terá ao fazer parte da sua rede e o know-how já tanto falado nesse artigo, é talvez a maior vantagem. Para poder passar todos os conhecimentos será necessário criar todos os manuais dos quais ele precisará. Sistematize os processos desde as instalações iniciais até a operação do dia-a-dia, tudo deverá ser documentado e estar na forma de manuais para fácil acesso e entendimento.

d) Elabore contratos

Por isso que logo no 1º tópico eu citei o conhecimento da Lei do Franchising, isso lhe permitirá criar os contratos com cláusulas que estejam de acordo com a legislação. Os contratos elaborados devem reger a relação entre o franqueador e os franqueados, seus direitos e deveres.

O principal instrumento desses contratos deve ser o Circular de Oferta de Franquia – COF, nele, deverão ter informações sobre: organização da franqueadora, situação legal da marca, financeiro da empresa, investimentos que o franqueado deverá fazer, pagamentos que deverá fazer, entre outros.

e) Planeje processos de formação e de suporte

Além dos manuais com todo o conhecimento da empresa, quais outras maneiras de ensinar e manter a sua rede atualizada você terá? Haverá workshops, cursos, palestras? Pense nas melhores formas de passar conhecimentos e até mesmo recebe-los de seus franqueados.

É também muito importante criar canais de suporte ao franqueado, para atender às dúvidas e dar as devidas orientações.

Deixar uma área de FAQ disponível também é uma mão na roda. As dúvidas mais frequentes dos canais de suporte, poderão inclusive fazerem parte dessas Perguntas Frequentes.

Quanto mais o franqueado estiver se sentindo amparado pelo franqueador, melhor. Assim ele criará confiança e poderá desenvolver o seu negócio com maior assertividade.

f) Crie uma unidade piloto

Uma unidade piloto é uma unidade própria da franqueadora, criada para colocar em prática os processos operacionais da franquia e poder sentir na prática o dia-a-dia de uma franquia, testar e fazer os ajustes cabíveis no planejamento ou processos.

Um dos pontos mais relevantes de uma unidade piloto é inclusive o de poder avaliar o desempenho financeiro de uma unidade, conhecendo os custos de implantação, capital de giro necessário para mantê-la, tempo de retorno do capital investido e a rentabilidade e lucratividade.

g) Elabore um Plano de Expansão

Após o planejamento inicial, um plano de expansão da franquia deverá ser elaborado. Leve em consideração quais cidades ou regiões serão implantadas as franquias, principalmente no início do projeto, em que o seu sucesso depende do crescimento da rede.

h) Estude a melhor forma de divulgar e vender a franquia

Superadas todas as etapas iniciais, chega o momento da venda. Uma coisa é certa: saber como transformar o seu negócio em franquia é uma coisa, agora, saber como vendê-la para empreendedores, é outra.

Recomendamos para você:  Desenhando o seu negócio com o Canvas

Crie um Plano de Marketing e escolha os melhores canais para divulgar a sua franquia, estes geralmente são:

  • Feiras de Negócios;
  • Palestras;
  • Seminários;
  • Sites especializados, e;
  • Revistas do segmento.

Ao entrar em contato com os potenciais investidores, passe para eles profissionalismo e propósito. Lembre-se que o mercado de franquias vem expandindo e a concorrência só tende a aumentar.

i) Selecione os franqueados

Esteja atento e leve em consideração o fato de que o franqueado não deve ser somente um investidor da marca. O franqueado precisa ser acima de tudo um parceiro, que esteja disposto a vestir a camisa e crescer junto. Precisa ser alguém integre à equipe e que não tenha em mente somente a visualização dos lucros, mas sim o crescimento conjunto.

Portanto, o processo de seleção deve buscar alguém que tenha o mesmo perfil de empreendedor do franqueador e seus princípios e ideais.

Lembre-se, sucesso de sua franquia pode ser atribuído 50% a marca, produtos e processos e 50% pelo perfil empreendedor do Franqueado. Não esqueça disso!

Ufa! Bastante coisa, não é mesmo? Além de se preocupar com o negócio em si, ainda há a parte burocrática para cuidar. E essa é tão importante quanto as outras, pois um deslize e com certeza é dor de cabeça para você! Por isso, o próximo tópico aborda como ter tranquilidade em meio a todos esses processos.

5. A importância do contador parceiro no processo de franqueamento de negócio

Decidiu mesmo abrir uma rede de franquias? Excelente! Agora só falta encontrar um contador parceiro que possa te auxiliar em todas as questões burocráticas e legais, para que você possa ter tranquilidade na gestão do negócio.

Buscar um contador de confiança para ajudar nessa questão, é o passo primordial para aqueles que buscam o sucesso. Escolher uma contabilidade para cuidar desse assunto mostra a preocupação que se tem em deixar tudo em ordem.

Veja abaixo os benefícios de escolher um contador parceiro para te ajudar:

E fora isso, ainda tem muito mais!

Gif Batman e Superman

Empresário + Contador, uma relação fadada ao sucesso, assim como uma ação conjunta entre o Batman e o Superman 🤝🏻

E lembre-se, essa atividade deve ser realizada por profissionais capacitados. Infelizmente um fato é que a alta taxa de mortalidade das empresas está aí porque muitos empresários não se atentam a isso.

Então, fique de olho!

Conclusão

O modelo de franquias para a expansão de negócios, é um modelo bastante visado. Por ter sua própria legislação aplicável e ser um investimento que para o franqueado tem um esforço menor, torna-se atrativo. Essa atratividade de investidores, faz com que o franqueador consiga expandir sua rede em um tempo considerável curto.

Porém, para se transformar um negócio já existente um negócio franqueável, é preciso tomar uma série de cuidados. Fazer um planejamento de transição adequado, documentar todo o know-how do negócio e sistematizar os processos são alguns dos pontos de atenção e se atentar à legislação.

Nesse momento tão importante, é essencial contar com a ajuda de um contador parceiro para te orientar e impedir que tenha surpresas negativas que possam afetar os seus negócios.

Espero que após esse texto você tenha se decidido sobre franquear a sua marca e que, caso ponha mão na massa para faze-lo, alcance muito sucesso! ☺

E então, vai fazer o franqueamento de negócio para crescer ainda mais? Achou a ideia viável para o seu tipo de negócio? Conta pra gente aqui nos comentários! Adoraremos saber.

Até a próxima!

Regina Fernandes
Regina Fernandes
Contadora, pós graduada em Marketing com especialização em Gestão de Projetos. É sócia proprietária da Capital Social Contabilidade e Gestão. Website: www.capitalsocial.cnt.br
  • jorgeraupp

    Excelente artigo!
    Também seria parecido – na minha opinião – porém menos exigente, a abertura de uma empresa de Vendas Direta e Marketing Multinível, antes de começar a franquear.